segunda-feira, 16 de abril de 2012

Resenha do livro e filme Precisamos falar sobre o Kevin


Hoje é dia de drama, bb!

Bom, antes de tudo, eu recomendo a você amigo/a leitor/a: NÃO ASSISTA O FILME ANTES DE LER O LIVRO.

Dado o recado, á história gira basicamente sobre Eva Khatchadourian, uma mulher independente, rica, viajada que nunca pensou em ter filhos, até que seu amado esposo insiste em ter pelo menos um e para agradá-lo Eva acaba engravidando, meses depois nasce Kevin.
Após engravidar Eva não se sente confortável com tal estado e com o nascimento de Kevin as coisas pioram.
Fica claro que Eva não suporta Kevin e em seu relato parece que o garoto também a odeia.

Durante toda a narrativa percebemos como Eva tenta nos convencer de que Kevin é algum tipo de demônio que nasceu para infernizá-la, é como se ela quisesse convencer o leitor de que não teve culpa pelo que o Kevin fez.
Kevin é um garoto estranho, sem amigos que pousa de bonzinho perto do pai, veste roupas pequenas pra sua idade e adora coisas salgadas na infância e doces na adolescência. Em um determinado momento de sua adolescência Kevim resolve trancar alguns colegas e professores em um ginásio de basebol em sua escola e mata a todos sem pena. É ai que começa a confusão.

A história é narrada depois que isso acontece. Eva nos conta o antes de seu filho nascer (como sua vida era maravilhosa), e depois que ele nasceu e tudo piora gradativamente.
Percebo que  Eva tentar lavar o sangue de suas mãos, mas é impossível ( em minha humilde opinião), pois ela tem uma parcela de culpa nestes assassinatos pelo fato de  nunca ter sido mãe de verdade, nunca quis, e pouco se esforçou pra isso. Pra ela a maternidade era algum tipo de atuação.

O livro é muito bom, bem construído, com uma linguagem adulta. Recomendo para aqueles/as que queiram entrar no universo mais dramático da literatura e que possuam um bom dicionário, pois vão recorrer bastante a ele.

O filme, como era de se esperar, tem um enfoque diferente, não existem cartas, ao invés disso ele recorre aos flashs de memória depois do massacre  e o que vemos é uma Eva acabada e consumida pela culpa de não ter previsto o “inesperado”. O filme é bom, mas não supera o livro e a impressão que tive é que aqueles que não o leram ficaram desorientados em alguns momentos. Mas vale a pena, pois os atores estão ótimos.

Não preciso nem dizer que a autora Lionel Shiver faz uma alusão ao massacre de Columbine de 1999 que desencadeou outros massacres no mundo todo, nos mostrando que   algo de errado com a criação dada aos adolescentes.

Acredito que, o que Leonel nos traz é uma reflexão sobre o ato de ser pais. Por que ser pais? E quais as implicações que isso traz pra vida de todos que estão a sua volta.

PS: Se você sofre de depressão ou está passando por um momento difícil em sua vida pessoal espere um pouco antes de lê-lo (tô falando sério). 




Filme: Precisamos Falar Sobre o Kevin (We Need to Talk About Kevin) – 112 min
EUA, Reino Unido – 2011
Direção: Lynne Ramsay Roteiro: Lynne Ramsay, Rory Kinnear – Baseado no romance de Lionel ShriverElenco: Tilda Swinton, Ezra Miller, John C. Reilly, Jasper Newell, Ashley Gerasimovich 

Livro:  Precisamos Falar Sobre o Kevin (We Need to Talk About Kevin)
  • Editora: Intrínseca
  • Autora: LIONEL SHRIVER
  • Número de páginas: 464



LIVRO EM PROMOÇÃO Compre pelo blog (Saraiva)

Postar um comentário
Copyright © 2014 ESTANTE DO RÊ